SELECIONE O IDIOMA

Planejamento alinhado à tecnologia faz a diferença em qualquer mercado


Planejamento alinhado à tecnologia faz a diferença em qualquer mercado


08 de maio de 2019 - 14h02


Tempo de Leitura: 5 minutos

Há pouco menos de 3 anos, decidimos investir em equipamento de alta precisão considerando duas situações: aumentar nossa capacidade de produção/hora e melhorar a padronização do produto. Sabíamos que existiam máquinas no mercado capazes de trazer esses dois tipos de oportunidade para a nossa empresa, aumentando a precisão da produção e evitando uma quantidade muito grande de pessoas manipulando os produtos.

Para quem não leu meu artigo anterior, deixo o link aqui novamente para que entendam sobre o que estou me referindo e qual nosso mercado de atuação. Como me tornei o homem do food service: 

https://www.linkedin.com/pulse/como-me-tornei-o-homem-do-food-service-cristiano-fazio/

Bem, foi pensando no crescimento a médio prazo, um cenário que já se mostrava real para nós, que optamos por investir fortemente em três tipos de máquinas de alta precisão, que cobririam grande parte da nossa necessidade de expansão, sendo uma de extrusados, outra de folhados e de croissants.

 

Saiba como nos estruturamos para isso

De modo geral, as máquinas são apenas uma parte da operação dentro de uma fábrica; não basta somente ter as máquinas, é preciso ter estrutura e capacidade de armazenamento, tanto para insumos quanto para produção pronta para distribuição, além de meios de transportar os produtos dentro da fábrica etc.

Não vou entrar na questão de quanto investimos em cozinha e estrutura para ter esses três equipamentos que citei funcionando de forma adequada, mas investimos em média de 3 milhões em máquinas, sendo que, dessas três linhas de extrusados, folhados e croissants, duas delas passarão a ser completamente automatizadas nas novas áreas da fábrica, entre 2019 e 2020, o que significa fazer mais investimentos na operação e nos próprios equipamentos em que já investimos. 

Hoje, somando toda a nossa estrutura operacional, a Qualycon possui 8 mil metros quadrados de área, são duas fábricas em Catanduva e alguns centros de distribuição – em Catanduva, São Paulo e fora de São Paulo –, distribuímos para 19 estados brasileiros.  

 

Planejamento, ousadia e visão de mercado

No início de 2016, tomamos a decisão de adquirir uma área extra, mais um galpão com a capacidade de ...... metros, onde ficava o escritório administrativo da operação, e transformamos em mais área de produção. Essa foi a nossa primeira grande movimentação em termos de estrutura, a segunda delas foi a de importar equipamentos de ponta, de alta capacidade.

Se hoje, independentemente da nossa estrutura física, produzimos, por exemplo, mil unidades de croissants e folheados por hora, passamos a ter uma autonomia nesse processo, o que aumentou muito nossa capacidade e hoje podemos produzir 5 mil unidades por hora.

Fora isso, temos máquinas menores, não tão eficientes como as que citei, mas que também já passaram por processos de estruturação para melhorar a capacidade de produção. Para citar outro exemplo, tínhamos uma máquina de torta e empada, com capacidade intermediária, que já foi substituída e aumentou a capacidade de produção, para além do que entregamos hoje no mercado; ou seja, estamos nos estruturando para um crescimento futuro.

Ao concluirmos as últimas ampliações que planejamos fazer, aumentaremos nossa capacidade de produção em 70%. E já adquirimos mais dois terrenos novos, tanto ao lado da fábrica em Catanduva quando no CD – Centro de Distribuição, também na cidade, a fim de garantir o aumento da produtividade para os próximos dois anos, podendo chegar a mil toneladas/mês.

 

Planejamento e visão de futuro

Nosso diferencial para ter um crescimento estruturado, sem dúvida nenhuma, são as pessoas, e não é “da boca pra fora”, desde o início do negócio, contamos com pessoas que fazem toda a diferença.

Quando me tornei sócio no negócio, já existiam uma estrutura definida e um modelo bem formatado; os dois proprietários da empresa, pai e filho, me aceitaram como sócio porque sabiam que eu entendia do mercado de food service, sabia como tudo funcionava e poderia alavancar o negócio, sobretudo no comercial.

Na data da minha entrada no negócio, traçamos um plano inicial, o qual conseguimos realizar em muito menos tempo do que planejamos, o que nos deu uma autonomia de 60 meses de metas alcançadas. Isso sem contar que essa meta já era agressiva para o início da minha participação no negócio.

3 diferenciais do negócio

1.    As pessoas que estão conosco fizeram toda a diferença, pois, para que a fábrica conseguisse absorver toda essa ascensão do comercial, foi preciso contar com a competência e a capacidade delas, seja na operação fabril, na qualidade, no financeiro etc.

O segundo ponto, que acredito ser mais um diferencial, foi o de entender a necessidade do mercado e buscar sempre duas soluções para o mesmo problema, para que pelo menos uma delas seja satisfatória.

2.    Além disso, os sócios souberam – e ainda sabem – que para continuar gerando uma empresa saudável e sustentável de médio e longo prazos, precisaríamos abrir mão de ter grandes salários e grandes dividendos. Isso para que a companhia suportasse crescer com capital próprio, e não financiado.

 

Esse foi nosso norte por muito tempo e continua sendo. 

Sobre nossa expectativa de futuro

Sabemos que o Brasil vive de muitas incertezas no momento, mas não nos prendemos a essas máximas; se não nos prepararmos e não nos capacitarmos para crescer, por causa de crise no país, nunca estaremos prontos para um crescimento futuro.

Portanto, nos estruturamos com projeções de mais de dois anos, o que nos garantirá uma autonomia de crescimento e produção para os próximos 10 anos. Isso tem que ser feito independentemente de crise no país.

Se todo empresário pensasse dessa forma, provavelmente seus negócios seriam mais bem-sucedidos e mais sustentáveis.

Temos condições de dobrar nossa capacidade de produção e entrega nos próximos dois anos e ainda assegurar mais crescimento. E é com esse plano que trabalhamos. O resto é ajustar alguns processos e lapidar cada vez mais nosso atendimento, nossa entrega.

Mais uma vez, não deixe de ler meu outro artigo (clique aqui) e vamos debater. Como você prepara o seu negócio para o futuro?

Abraços e até a próxima!

Siga-nos!